22 abril 2009


Eu vejo as minhas mãos pedirem o seu corpo loucamente, sem que eu consiga controlar.
Sua respiração ofegante ainda está em meu ouvido, as suas mãos que ao mesmo tempo parecem ser suaves, tem uma força de me arrancar suspiros que me estremecem.
Toda vez que eu falo um “não”, é com uma vontade de dizer um “sim” com a maior intensidade que houver.
O seu corpo, pesado ou leve não sei, parecemos ser um só, entre os embalos das nossas carícias.
Mal conheces o meu corpo, mas é nele que eu quero que deposite toda essa paixão, toda essa saudade que sentimos em tão pouco tempo.
É com você que eu quero me deitar, encostar minha cabeça sobre o teu peito, sentir o teu coração disparar, ver os teus lábios sendo mordidos por você, ou por mim. Vendo seus olhos vendados, sorrisos de lado, olhares sérios e desejos, as marcas em nossos corpos de um dia que eu quero que aconteça.
É com você que eu quero me sentir mais mulher, mais desejada.
Quero que tudo isso seja insaciável, como está sendo agora, mesmo você conhecendo tão pouco do meu corpo, mas sabendo perfeitamente o que ele pede!

21 abril 2009


Quando encontrou o seu rapaz, o seu coração resolveu muito acelerar, já tinha esquecido o quanto isso era gostoso. As pernas nem tiveram tempo de ficarem bambas, porque antes que ficassem, ela foi acolhida com um abraço apertado, onde poderia acontecer qualquer coisa no mundo, mas a única coisa que importaria era os seus braços entrelaçados aos dele, o cheiro e o beijo.
A vergonha não poderia faltar, mas a intimidade rolou tão absurdamente bem, que eles já se sentiam a vontade para falar qualquer tipo de assunto.
A química foi perfeita, para ela pelo menos.
Tudo estava na mais perfeita sintonia.
Ainda achava estranho , se apaixonar por alguém que nunca tinha realmente visto, nunca tinha sentido o seu beijo, e ele já fazer tanta parte dela assim.
Dava para sentir a paixão deles, antes mesmo que tudo isso viesse a acontecer.
Agora que tudo aconteceu, tudo está tão bem.
Ela não sabe o que fazer com essa felicidade.
Talvez esse, seja um início de muitos dias que virão, de muitos sentimentos a serem sentidos.
A forma que eles se interessaram, ninguém acreditaria que pudesse dá certo, ou que alguém pudesse realmente gostar do outro.
Mas não tinha como não se apaixonar, ele veio em um tempo certo, na melhor forma para o seu encaixe.
E hoje ela sabe, que não adianta fugir de sentimentos, afinal eles sempre nos pegam de surpresa.

06 abril 2009


Os dias têm passado rápido demais e eu vejo o tempo fazer o seu percurso.
Boas conversas tem me acompanhado, bons pensamentos também.
Aquela companhia de fato ainda me falta.
As nossas obrigações não estão colaborando muito.
Alguém não me sai da cabeça, dia e noite está lá, fazendo o trabalho de me arrancar um sorriso.
Eu me vejo boba, pensando, imaginando o seu toque, o seu abraço, os nossos chamegos na rede.
Mas o medo ainda circula, tento colocar freios ao mesmo tempo em que tento destruir minhas barreiras.
Encontrei alguém, não sei bem onde ele me ganhou, mas tem o pleno poder de me prender até quando não podemos.
São horas e mais horas de conversa que parecem passar rapidamente, e quando alguém tem que ir embora, logo vem a saudade. Eu tenho mandado mensagens todas às noites, eu tenho escutado uma bela voz, eu tenho me derretido toda vez que ele canta e pede carinho.
O vejo de um jeito distante, mas ainda sim o vejo.
Ver aquele sorriso sair quando eu invento de falar as minhas, as nossas besteiras está me fazendo bem.
Eu tenho me sentido melhor, eu tenho achado graça em tolices, eu estou tendo mais paciência com as pessoas e com os meus problemas.
Eu quero muito que dessa vez, dê certo.
Já andei falando da sua meiguice, do seu timbre, do seu encanto, das suas metáforas, das suas palavras.
Talvez eu esteja fantasiando demais, encantando demais qualquer coisa que nós temos ou que nem temos.
Mas nesse exato momento quero dizer o bem que ele me faz, os suspiros que ele me arranca, a fome de viver um novo sentimento que ele trouxe á tona.
Não sei bem o que eu sinto agora, mas sei que tem algo não específico, que só depende de nós dois fazer crescer. Meu medo é que tudo isso passe e que realmente essas coisas tenham sido uma peça maluca que o destino nos pregou, sei lá pra quê.
Dessa vez vai ser diferente, eu quero que seja!
Porque não tenho mais desculpas, não tenho mais motivos para fazer isso, nem quero adiar o nosso encontro.
Chega de dizer,"Hoje não posso, amanhã não dá..”!
Quero que tudo isso passe de poesia e se torne a minha realidade, a nossa realidade.
Que isso não seja apenas pequenos momentos que aumentamos sem querer, e mesmo que não seja, eu sei que só por ter te conhecido e você ter despertado tudo isso, já valeu a pena!

01 abril 2009


Cabelos escuros e levemente ondulados nas pontas. Mexia sua cabeça de um lado para o outro, ao mesmo tempo em que cantava e dançava chamando atenção. Ela olhava fixamente com seus olhos ao nada, e às vezes cruzava em olhares que outros a estavam dando. E movia os lábios de acordo com a música.
Percebiam a moça, via como ela se soltava. A dança no mínimo para ela seria um ritual de purificação. E ela não ligava para o que pensavam ao ver, ela subir e descer, ir para um lado e para outro. Remexer os quadris e quase parecer uma louca. Afinal, sentia uma química nas descidas até o chão, nos seus pés que se mexiam de acordo com o samba e nos entre laços nos passos do forró.
Não era o álcool que tinha feito resultado. Era a alegria guardada, os momentos que ela queria ter vivido e não viveu. O tudo que ela viveu e não queria ter vivido. Tudo o que ela queria estava sendo representado, alí na dança, na mesma dança desenfreada. Amanheceu, e saiu do local só quando os seus pés não resistiram a mais alguns movimentos. A noite foi dela, e ninguém conseguiu estragar.