28 junho 2009

O passado, não será meu presente.



Depois de ter lido cartas, textos e ter visto fotos, me fizeram repensar todo um passado, por alguns instantes.(como um flash back.)
E a verdade, é que eu não me reconheço mais olhando tudo isso, vendo os meus erros e os meus acertos não sendo mais cometidos por mim.
Algumas experiências me deixaram marcas, umas que ainda incomodam, e eu prefiro não cutucar, por ainda não terem sido cicatrizadas por inteiras.
Então, eu as deixo quietas, o tempo vai acabar cicatrizando, e outras me deram coragem para seguir em frente, sem ter que me preocupar com o que eu deixei para trás.
Mas me sinto vazia, como se eu tivesse com um peso nas costas, e estivesse disposta a dividir sempre com alguém.
É quase sempre uma ligação com um relacionamento amoroso, e não ter nenhum, me espanta.
É como se me faltasse alguma coisa.
Sou movida à paixões, ao coração acelerar, e quando isso não vem acontecendo, eu sinto falta.
Eu me pergunto o porquê, ainda disso tudo, já que eu sei que ninguém precisa de ninguém para se considerar uma pessoa “feliz”, mas venhamos e convenhamos, não tem coisa mais deliciosa do que estar apaixonada.
Não encontro respostas plausíveis para eu continuar nessa de ter um envolvimento barato, de sempre querer me relacionar, e sempre sair machucada da história.
Muitas vezes me vejo ríspida, como se eu precisasse sempre ter que chocar alguém com minhas grosserias, sei que estou usando minhas frustrações incorretamente, e talvez seja uma defesa que eu ainda nem sei, ou uma falta de paciência de quebrar a cara mais uma vez.
Não queria generalizar, sei que ainda existe muita gente que dá valor as pessoas, que não gosta de enrolação e muito menos enganação.
Mas sabe, eu realmente cansei disso tudo, e estou preferindo estar no meu vazio do que estar com alguém onde eu veja algum complemento, e no final das contas descobrir que nada existiu.

7 comentários:

Manuela Moraes disse...

amiiiga, eu já tinha esse blog faz um tempo, só que voltei a postar ontem :P espero continuar, desta vez!

já estou te seguindo :)
amo você!

Tatá disse...

Vazios. Ando cheia deles! :(

Adoro vir aqui :*

Renato Alt disse...

Texto maduro e sincero... não é fácil enxergar, em si mesmo, tantas dessas coisas, ainda mais admitir vazios: hoje, todos posam com sorrisos plastificados e fazem questão de mostrar-se, sempre, felizes e dispostos, mesmo que todos à sua volta saibam que é uma inverdade.

Parabéns. Você tem muita razão no que escreveu.

Jéssica Souza disse...

Estar sozinho pra encontrar a si mesmo é muito mais valioso do que estar com alguém,ser e fazê-lo infeliz.É preciso se encontrar primeiro pra só depois se perder em alguém.
beeeijos :*

Natália Corrêa disse...

estar vazio as vezes é sinal de que precisamos nos preencher com outras coisas.
a vida é assim mesmo... as vezes é, as vezes não. não dá pra desistir de se apaixonar só porque ainda não deu certo; até porque, as coisas que parecem ruins nem sempre o são de fato. olha o tanto de coisa que vc descobriu sobre vc? =}

Larissa disse...

Passei um tempo sem postar no meu blog, e quando voltei, estive sempre correndo. Postando e prometendo comentários que só agora estou fazendo. Mas finalmente estou, acho que isso que conta.
Da última vez que vim aqui, a estética era diferente, e gostei de como está agora. Li alguns dos textos mais recentes pra me atualizar, e me parece que algum tipo de amadurecimento aconteceu, talvez algumas descobertas, alguns encontros ou desencontros.
Mas, num balanço final de tudo, é bem fácil notar que você tem grande consciência dos sentimentos que resultaram disto. E eis que importa mais, essa conclusão.
Continuo acompanhando.
Um beijo!

Larissa disse...

p.s.: e vazios existem sempre, como função de existência e como impulso para que desejemos preenchê-los. ter alguém que nos ajude com isso é sempre melhor, mas às vezes, alguns espaços cabem somente à nós mesmos.